Nota de solidariedade a Emanuel Cancella

imagemA Unidade Classista vem a público prestar sua irrestrita solidariedade ao companheiro Emanuel Cancella, vítima de perseguição política descabida promovida pelo juiz Sérgio Moro. A intimação, ao que nos consta, quer tratar as críticas políticas ao juiz, todas plenamente plausíveis, como se as mesmas fossem ataques à sua moral.

Na realidade, não se trata de uma mera intimação, mas sim uma intimidação indisfarçável. Uma clara tentativa de passar um recado a todos aqueles que criticam sistematicamente a parcialidade política inequívoca do magistrado, que até agora demonstra proteger e afagar políticos ligados ao PSDB, alguns deles recordistas em citações na própria Lava-Jato. Por trás da ofensiva a um dirigente sindical, revela-se um ataque a todo sindicalismo combativo, autônomo e crítico aos poderes dominantes. Miram uma liderança, mas contam que com isso estarão fragilizando todos os movimentos sociais e a Esquerda. Desejam, no fundo, um sindicalismo domesticado e subalterno aos interesses patronais.

O famigerado juiz, que há tempos empreende ações orquestradas com o que há de mais atrasado na política brasileira, como o oligopólio de imprensa capitaneado pelas organizações Globo e setores ligados às grandes corporações e rentistas internacionais, pretende calar quaisquer vozes dissonantes, num assombroso e intempestivo gesto autocrático.

Saiba ele que a Esquerda tem perfeita noção do significado do ataque e reagirá a altura, sabendo superar suas diferenças ante tal afronta. Não tenha dúvida que, ante tal ameaça, sabemos identificar quem são os inimigos de classe contra os quais construiremos a mais rígida unidade até que seja derrotado tal rompante antidemocrático.

Ressaltamos que esse é só mais um capítulo do crescente estreitamento do cerco da já combalida e relativa democracia conquistada com muita luta. Porém não podemos esperar nada de diferente partindo de uma elite empresarial e financista, com DNA golpista e autoritário, num momento em que a mesma imputa à toda humanidade uma grave crise sistêmica. Pretende fazer com que nós trabalhadores paguemos pela crise que geraram, e que aceitemos tal absurdo sem reagir.

Toda solidariedade ao sindicalista Emanuel Cancella! Mexeu com um trabalhador, mexeu com todos!

Comitê de Petroleiros da Unidade Classista/ RJ

https://unidadeclassista.org.br/uc1/2626