Todo repúdio aos ataques ao processo de paz na Colômbia

Todo repúdio aos ataques ao processo de paz na ColômbiaNós, representações internacionais dos Partidos, Forças Políticas e Movimentos Sociais que assinam a presente resolução, saudamos a celebração do II Conselho Patriótico Nacional da Marcha Patriótica, exigimos do Estado colombiano a aplicação integral do Acordo de Paz de Havana e denunciamos as manobras para sabota-lo e descumpri-lo.

Desde que se assinou o Acordo, este foi modificado unilateralmente por diferentes estamentos do Estado. Por sua vez, a implementação do mesmo está sendo bloqueada em meio a um interminável emaranhado jurídico e burocrático. Elementos fundamentais como o ponto agrário e o desmonte dos grupos paramilitares continuam sem serem implementados.

Neste último caso, a situação é dramática:

– 157 assassinatos de membros da Marcha Patriótica desde sua fundação.

– 250 líderes sociais e políticos assassinados desde a assinatura do Acordo de Paz. 32 deles em 2018.

– 48 ex-combatentes das FARC e 12 de seus familiares assassinados, desde a assinatura do Acordo.

Denunciamos as agressões que grupos e forças de direita promovem contra militantes e simpatizantes da Força Alternativa Revolucionária do Comum e da União Patriótica em seu trabalho político e eleitoral. Assim como também, a falta de garantias para o exercício da oposição política, como por exemplo, o bloqueio aos recursos financeiros acordados para garantir a participação da FARC nas eleições.

Manifestamos nosso apoio militante, solidário e internacionalista à construção da paz na Colômbia. Desejamos que seja um processo integral que conquiste um Estado soberano com uma democracia inclusiva, popular e com justiça social, livre das pressões do poder econômico, financeiro e monopolista – tanto nacional como internacional. E esperamos que neste caminho a Colômbia reivindique sua diversidade cultural, étnica, afetiva e de gênero, na luta contra o sistema patriarcal.

Ao mesmo tempo, fazemos um chamado ao Governo colombiano a retomar sem demora o diálogo de paz com o ELN em Quito.

Continuaremos difundindo em nossos países as denúncias contra os ataques ao Acordo de Havana e seguiremos exigindo que nossos governos se posicionem a seu favor e denunciem seu descumprimento.

Reconhecemos o importante papel que a Marcha Patriótica tem como movimento político e social nesta luta, em conjunto com outras forças políticas e movimentos do campo popular na Colômbia, e reafirmamos nosso compromisso com o apoio solidário ao povo colombiano.

Bogotá, 18 de fevereiro de 2018

Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST – Brasil

Movimento Popular Seamos Libres – Argentina

Partido Aliança Vermelha-Verde – Dinamarca

Partido Comunista Brasileiro – PCB – Brasil

Partido Comunista dos Povos de Espanha – PCPE – Espanha

Partido Comunista Português – PCP – Portugal

Partido Die Linke – Alemanha

Tradução: Partido Comunista Brasileiro (PCB)