A MEU PARTIDO

A meu partido*

Me deste a fraternidade para o que não conheço.

Me acrescentaste a força de todos os que vivem.

Me tornaste a dar a pátria como em um nascimento.

Me deste a liberdade que não tem o solitário.

Me ensinaste a acender a bondade, como o fogo.

Me deste a retidão que necessita a árvore.

Me ensinaste a ver a unidade e a diferença dos

homens.

Me mostraste como a dor de um ser morreu na

vitória de todos.

Me ensinaste a dormir nas camas duras de meus

irmãos.

Me fizeste construir sobre a realidade como

sobre uma rocha.

Me fizeste adversário do malvado e muro do

frenético.

Me fizeste ver a claridade do mundo e a

possibilidade da alegria.

Me fizeste indestrutível porque contigo não

termino em mim mesmo.

*Pablo Neruda

Canto Geral

Tradução de Paulo Mendes Campos

Revista por Maria José de Queiroz

Difel/Difusão Editorial – edição 1979