LUTAR NÃO É CRIME! LIBERDADE PARA MATEO!

imagemMateo Gutiérrez León, jovem colombiano de 20 anos e estudante universitário do quinto período de Sociologia na Universidad Nacional de Colombia, está detido, desde 23 de fevereiro de 2017, sob a falsa e arbitrária acusação de terrorismo.

Mateo é inocente. Sequer se encontrava na Colômbia na data do atentado ocorrido no dia 18 de janeiro de 2017 no Bairro “La Macarena”, pois havia viajado com sua mãe em 12 de janeiro do mesmo ano para participar da “XXIV Brigada Sul-Americana de Solidariedade a Cuba”, tendo retornado dessa viagem no dia 12 de fevereiro. Esse evento foi realizado com a presença de 158 brigadistas de várias idades, inclusive crianças, em sua maioria das delegações da Argentina, do Brasil e do Chile, porém com representantes de outros países como Colômbia e Costa Rica, em programação composta por trabalhos agrícolas voluntários e ciclos de palestras e debates.

Diante da incapacidade em dar uma resposta política adequada ao atual cenário de acirramento político no país, o Estado colombiano opta por mobilizar seu aparato repressor judicial para converter críticos do governo em presos políticos.

Entendemos que esta conjuntura não é exclusividade da realidade colombiana, visto que o avanço do projeto neoliberal na América Latina vem acompanhado do aumento de prisões e perseguições políticas no continente de militantes de movimentos popular e sociais, como são os casos de Milagro Sala na Argentina, Rafael Braga no Brasil, entre outros. E, na Colômbia, isso se expressa no recrudescimento da violência após o atual “Acordo de Cessar-fogo e de Hostilidade” entre o Estado colombiano e as Farc, apesar do o Estado ter se comprometido em garantir a participação e segurança dos movimentos sociais e políticos de oposição.

A prisão de Mateo afeta também sua condição de estudante. A imprensa burguesa colombiana e estrangeira tem agido no reforço do estigma que recai sobre universitários e trabalhadores dos campos e das cidades, acusando-os, sem qualquer prova, de terroristas e revoltosos. Este esforço demonstra clara e evidente perseguição ao movimento estudantil e ao saber crítico universitário.

Exigimos a imediata libertação de Mateo Gutiérrez León e dos demais presos políticos na América Latina e o fim das falsas imputações criminais aos lutadores populares na Colômbia.

Mateo é um jovem de pensamento crítico, desportista, que ama animais, leitor dedicado e pacifista. Mateo nunca teve medo de dizer o que pensa e, por isso, se permitiu o livre exercício da crítica sobre a situação política e desigualdade social que o país enfrenta.

“Partimos de um critério de princípios sobre a política, e nós sabemos que apenas este tipo de abordagem é certo e apropriado: é direito lutar pela terra, por salários, por educação, por saúde, por direitos totais, pela democracia e pela liberdade.

Então deve ficar claro para todos: NÃO devemos nos entregar, NÃO podemos desistir de nossos princípios e da nossa maneira de ver e compreender o mundo. ” (Mateo, março de 2017)

Hoje foi Mateo, amanhã poderá ser qualquer um de nós!

CONTRA A CRIMINALIZAÇÃO DOS MOVIMENTOS SOCIAIS

Assinam este documento:

Comitê Carioca de Solidariedade a Cuba – Associação Cultural José Marti – XXIV Brigada de Solidariedade a Cuba/ Delegação do Rio De Janeiro – Casa da América Latina – Marcha Patriótica Capitulo Brasil – Centro Cultural Antonio Carlos Carvalho – Movimento em Defesa da Economia Nacional

Saiba mais:

https://drive.google.com/file/d/0BxFPTD_kQpZEYmpvN3lxQXdzNEU/view