MARCHA PATRIÓTICA/COLÔMBIA: EM NOSSO ANIVERSÁRIO

imagem(21 de abril de 2017)

Cinco anos passaram desde que milhares de organizações sociais do país se encontraram em Bogotá, caminhando desde os lugares mais profundos da geografia nacional para formar o Movimento Político e Social Marcha Patriótica. Não eram poucos os temores que traziam mais de vinte mil homens e mulheres, que se mobilizavam para a fundação de nossa organização. Levavam muitos anos de um governo que perseguiu qualquer forma de união com a força, o medo e o uso maniqueísta das leis pela censura dos e das que pensavam diferente; porém nossos sonhos de uma Colômbia justa e em paz eram muito mais fortes que esses temores, que tinham tentado semear no inconsciente daqueles que habitam este país.

Quase dois anos antes nos encontramos numa grande mobilização, que nos deu o nome em 20 de julho de 2010. Nos reunimos na Universidade Nacional e marchamos, recordando o nascimento da pátria colombiana, comemorando o grito de independência de dois séculos atrás, porém reivindicando a urgente necessidade de um Novo Grito, uma Segunda e Definitiva Independência, pois quem estava ali tinha claro que as condições sociais, políticas e econômicas que viviam não eram justas, que o colombiano era um povo trabalhador e honesto, porém, que aqueles que governavam desde o século XIX tinham substituído a colonização espanhola pela opressão criolla, que hoje mantém o poder entre as mesma famílias que governaram desde o nascimento da república.

Durante dois anos caminhamos por ruas e montanhas, convidando amigos e amigas, contando nossas ideias a grupos e coletivos, somando sonhos e rebeldias para realizarmos o encontro em 2012, onde nos sentamos para somar as bases de nossa organização, para definir nossa linha política e nossa plataforma de luta. Desde o início de nosso nascimento, tínhamos claro que a defesa da vida, da paz e da reconciliação formam nosso espírito, que o futuro de nosso país não podia estar ligado ao medo, nem ao modelo neoliberal que só fome, pobreza e ausência de sonhos de futuro trouxe ao nosso país. O campo existe. Mesmo que nossa Constituição Política os tenha esquecido, existe um campesinato forte na Colômbia, que eles, camponeses e camponesas, têm em suas mãos que trabalham, o sustento, o alimento e a vida de todas e todos nós.

E sim, 2012 ficou claro que toda essa Colômbia esquecida, que a Colômbia profunda que não aparece nas pesquisas e estatísticas oficiais queria ser uma só com os homens e mulheres que nas cidades também vinham somando sonhos, que queriam deixar de lado o estigma de pobreza e de miséria como destino ditado por nossos governantes. A Marcha Patriótica surge e insurge há cinco anos carregada de ideias, de força, de capacidade, de paciência e esperança, porém, fundamentalmente, com um novo destino escrito, com a ideia clara de fundar a Colômbia de novo, apesar dos milhares de obstáculos, que uma segunda independência travará pelas mãos de todos e todas os que acompanhavam a Marcha Patriótica, camponeses, indígenas, comunidade LGBTI, religiosos, estudantes e tanto mais, com os sonhos carregados e cansados de um Estado que os esqueceu e repudiou.

Foram cinco anos onde cada vez somamos mais, anos em que tentaram nos eliminar, estigmatizar, perseguir, encarcerar. Cinco anos em que os inimigos da paz e da mudança social tentaram apagar nossos sonhos através da eliminação física de 133 companheiros e companheiras. Cinco anos em que tentaram prender atrás das grades a rebeldia de mais de 300 de nossos integrantes. Porém, não sabem como obtusos e esquivados são, já que esta perseguição só fortaleceu a capacidade de mobilização de nossa Marcha, o crescimento nos territórios e a firmeza de ir pelo caminho adequado, pois como disse o velho adágio de Dom Quixote, ladram Sancho. É sinal que cavalgamos!

Nossa Marcha Patriótica é uma proposta de organização eminentemente política, social e democrática, profundamente comprometida com a defesa da causa popular e isso faz justa e perene nossa existência. A nossa é uma organização madura que hoje, quando a paz aparece em nosso país, quando um Acordo de Paz representa o sentir das mudanças que requer nossa Colômbia, a Marcha quer ser alternativa de poder, alternativa de mudança para defender a construção de um país à medida dos sonhos das grandes maiorias de colombianas e colombianos.

Hoje, cinco anos depois de nossa criação, as portas de nosso Segundo Conselho Patriótico, nos resta agradecer todas e todos os que estabeleceram seus caminhos, suas ideias, desejos e sonhos em nossa Marcha Patriótica. Hoje, dizemos graças a todas e todos os colombianos, latino-americanos e irmãos do mundo, enviando-lhes um abraço do tamanho de nossas cordilheiras e com a extensão amorosa que se sente de Punta Gallinas até a quebrada San Antonio, no Amazonas, e desde o Cabo Manglares à saída do grande Rio Mira até a Ilha San José no grandioso Rio Negro, vizinho com nossa irmã República Bolivariana da Venezuela.

Movimento Político e Social Marcha Patriótica

Colômbia

http://www.marchapatriotica.org/

Tradução: Partido Comunista Brasileiro (PCB)