A confissão de John Kerry

imagemSabia-se, através de fontes credíveis, que o governo de Obama tinha desempenhado um importante papel na criação e financiamento do Daesh, o auto-intitulado Estado Islâmico e da sua intervenção na Síria e no Iraque. Somente após a divulgação dos monstruosos crimes cometidos pela organização terrorista os EUA simularam combatê-la. Continue lendo

Líbia, sepultada no crime e no silêncio

imagemHigino Polo

Passam em março próximo 6 anos sobre o início da agressão à Líbia pela OTAN. O país foi destruído. O povo líbio vive no inferno. Mas deixou de ser assunto para a grande mídia internacional, até porque operações semelhantes prosseguem noutros lugares, nomeadamente na Síria. Enquanto Obama se despede da presidência dos EUA, Continue lendo

SÍRIA: A ÚLTIMA GUERRA DE OBAMA*

imagemPor Miguel Borba de Sá, integrante da rede Jubileu Sul Brasil e do PACS

Barack Hussein Obama está prestes a se tornar o primeiro presidente dos Estados Unidos da América (EUA) a completar seus oito anos à frente da Casa Branca como comandante-em-chefe de um país em guerra. Desde o primeiro até seu último dia de mandato, serão 2.923 dias autorizando assassinatos por drones e outros meios, por um lado, e assinando cartas de condolências às famílias de seus próprios soldados, de outro[1]. Mesmo tendo recebido o Prêmio Nobel da Paz antes de assumir o cargo[2], Continue lendo

Pragmáticos da terceira guerra*

imagemAntónio Santos

A nomeação, na semana passada, de Peter Navarro para a pasta do Comércio foi o último sinal de que a administração Trump poderá recrudescer a um novo e imprevisível patamar a política de provocações militares e guerra econômica contra a China. Num momento em que ainda se especula se o presidente eleito será um irresponsável ou um pragmático, os nomes da equipa governativa vão traçando o perfil de um pragmatismo que radica na irresponsabilidade: o imperialismo. Continue lendo

“É uma grande vitória do povo e do governo sírio derrotar os terroristas que têm tanto respaldo do mundo”

imagemA análise de James Petras em CX36, 26 de dezembro de 2016

“Existem mais de 1.500 terroristas que vêm da Arábia Saudita para lutar contra o governo eleito da Síria. Porém, de todo modo, é algo espetacular que a Síria, com o apoio da Rússia, Irã e Hezbollah, possa derrotar tantos países agrupados contra seu governo: Arábia Saudita, União Europeia, EUA e todos os demais, incluindo a Turquia. É uma grande vitória do povo e do governo sírio derrotar os terroristas que têm tanto respaldo do mundo; isso se deve Continue lendo

Quem são os rebeldes de Alepo?

imagemNatalia Sancha

Este artigo contém muita informação interessante, e isso é tanto mais de registar quanto que a sua fonte é o insuspeito “El País” (o que o próprio artigo não deixa também de revelar, em qualquer caso). Só o mais cavernícola e desonesto jornalismo é ainda capaz de ocultar que os “rebeldes sírios” são um bando de facínoras, capazes de todos os crimes. E que, como as últimas informações vêm confirmando, em boa parte são tudo menos sírios. Continue lendo