Mês
Fevereiro 2010

América Latina e os desafios da esquerda revolucionária

América Latina Revolucionária Camilo Moreno, para o Rebelión Para nós, não se trata de reformar a propriedade privada, mas de aboli-la; não se trata de disfarçar os antagonismos de classe, mas de abolir as classes; não se trata de melhorar a sociedade existente, mas de estabelecer uma nova… Nosso grito de guerra tem de ser sempre: a revolução permanente! (K. Marx. Mensagem à Liga Comunista, 1850.) “Os setores de esquerda que pretendem reeditar hoje, inclusive com linguagem marxista, as velhas ilusões reformistas do passado, ou aqueles que fazem um chamado ao “realismo”, ou a construir um “capitalismo nacional”, abandonam na prática o projeto estratégico da revolução a longo prazo e terminam, em última instância, sendo funcionais à reconstrução da hegemonia capitalista.”

A herança das experiências socialistas do século XX e a luta de classes nos dias de hoje

Crédito: PCB Eduardo Serra* A profunda crise econômica que se abateu sobre todo o mundo a partir do segundo semestre de 2008 não apenas expôs a fragilidade estrutural do sistema capitalista como também confirmou as tendências gerais deste sistema, como a concentração e a centralização do capital, a queda das taxas de lucro, no longo prazo, e a financeirização da riqueza, além de demolir o mito da superioridade das políticas neoliberais adotadas nos últimos 20 anos, na maioria dos países, com a prevalência das estruturas de mercado sem regulação estatal.

Dez laureados com o prêmio Nobel reivindicam junto aos EUA liberdade para Os Cinco Cubanos

Crédito: Solidários O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, começará a receber em seu despacho na Casa Branca (The White House, 1600 Pennsylvania Ave, NW, Washington, DC 20500, United States) milhares de cartões postais ilustrados com os nomes de dez Prêmios Nobel que reclamam a liberdade para os cinco heróis nacionais cubanos, emitidos por cidadãos e cidadãs dos cinco continentes demandando ao governo dos EUA uma solução para essa irregular situação.

Os paramilitares e a farsa colombiana

Crédito: estoesnada.blogcindario.com Não é novidade: a Human Rights Watch, organização internacional que monitora a violação dos direitos humanos no mundo, denunciou, ontem, em Bogotá, os novos crimes dos grupos paramilitares na Colômbia. Além dos assassinatos seletivos, há o deslocamento forçado de populações inteiras, sob a ameaça armada dos bandos de criminosos. Tais comandos contam com a proteção de setores das Forças Armadas, da polícia, de alguns promotores e de altas personalidades do governo de Uribe. O país tem sido dos mais atingidos pela violência na América Latina, embora seja dotado de uma intelectualidade que se destaca entre os vizinhos. Não é só a pátria do romancista Gabriel García Márquez, como de excepcionais poetas e dramaturgos. Tal como outros países mestiços da Cordilheira, a Colômbia é dominada por uma minoria de grandes empresários, quase todos brancos, muitos de sobrenomes estrangeiros, que controlam os bancos, as indústrias e os meios de comunicação – e, da mesma maneira, o narcotráfico e as instituições do Estado.

ENTREVISTA COM IVAN PINHEIRO, SOBRE AS EEIÇÕES DE 2010

Crédito: PCB A Revista CAROS AMIGOS número 155, que está nas bancas, apresenta uma reportagem especial “ELEIÇÕES 2010 – Disputa de projetos ou falsa polarização?”, em forma de entrevistas com representantes de sete Partidos “do campo democrático-popular e da esquerda”, segundo classificação da jornalista Tatiana Merlino. São entrevistados, com as mesmas perguntas, Brizola Neto (PDT), Ivan Pinheiro (PCB), Ivan Valente (PSOL), José Eduardo Dutra (PT), José Maria de Almeida (PSTU), Luiza Erundina (PSB) e Renato Rabelo (PCdoB). Aqui estão, na íntegra, as respostas do Secretário Geral do PCB, camarada Ivan Pinheiro. Secretariado Nacional do PCB

Há apenas uma verdade histórica: aquela escrita pelos povos!

Crédito: KKE A 4a Reunião Européia de Educação foi realizada em Bruxelas, em 5 de fevereiro. Este ano o encontro teve como eixo as distorções sofridas na história da Segunda Guerra Mundial no processo de educação. A reunião foi organizada pelo Partido Comunista da Grécia e ocorreu no edifício do Parlamento europeu, contando com a presença de 25 representantes de partidos comunistas e trabalhadores. Durante a reunião, os participantes apresentaram fatos acontecidos nas escolas e informações coletadas em livros acadêmicos sobre a falsificação da história da Segunda Guerra Mundial. Foram divulgadas as metas desta campanha e suas referidas experiências na ação contra a manipulação ideológica da juventude. A reunião emitiu a seguinte declaração conjunta:

USAID financia os partidos políticos e grupos de oposição na Venezuela

Crédito: USAID Segundo o relatório anual de 2009 sobre as atividades da USAID na Venezuela, 32% dos seus fundos bilionários foram investidos em grupos estudantis e juvenis ligados à oposição. Dos 7,45 milhões de dólares entregues a grupos e projetos políticos na Venezuela em 2009, a maioria foi destinada a “promover o debate político entre os estudantes para elevar o nível do discurso sobre algumas das questões mais importantes para o povo venezuelano” e para “reforçar o uso de novas tecnologias de mídia (como o Twitter e o Facebook), melhorando o acesso à informação e permitir o debate aberto e produtivo na Internet”.

MST Informa: Participe de abaixo-assinado pela investigação do agronegócio

Crédito: MST A Via Campesina lançou um abaixo-assinado sugerindo que a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) instalada recentemente para criminalizar a luta Reforma Agrária e o MST seja utilizada para investigar os crimes do agronegócio. No texto, a entidade afirma que “a restrição dos trabalhos dessa CPMI à investigação apenas de convênios de entidades parceiras do MST representará, unicamente, mais uma iniciativa parlamentar de criminalização dos movimentos sociais, e não uma contribuição ao desenvolvimento e democratização do campo brasileiro.” A Via Campesina pede o envio de cópias das adesões para o presidente da CPMI, senador Almeida Lima (PMDB/CE) e para o relator, deputado Jilmar Tatto (PT/SP). Leia abaixo a íntegra do documento.