Cuba

Para aqueles que só têm acesso ao que a mídia burguesa noticia

Crédito: Solidários Para aqueles que só têm acesso ao que a mídia burguesa noticia sobre os “dissidentes cubanos”, nada melhor do que assistir o vídeo abaixo Vide o video: “Damas de Branco” recebem resposta popular! http://www.youtube.com/watch?v=Flsj3-w7wjo Clique aqui para assistir o vídeo

EM DEFESA DE CUBA

Crédito: Solidários Rede Em Defesa da Humanidade A propósito da resolução de 11 de março do Parlamento Europeu sobre Cuba, os intelectuais, acadêmicos, lutadores sociais, pensadores críticos e artistas da Rede Em Defesa da Humanidade manifestamos: 1. Que compartilhamos da sensibilidade demonstrada pelos parlamentares europeus acerca dos prisioneiros políticos. Como eles, nos pronunciamos pela imediata e incondicional libertação de todos os presos políticos, em todos os países do mundo, incluindo os da União Europeia. 2. Que lamentamos profundamente, como eles, o falecimento do preso comum Orlando Zapata, mas não admitimos que sua morte, primeira “…em quase quarenta anos” segundo o próprio Parlamento, seja deturpada com finalidades políticas muito distintas e contrárias às da defesa dos direitos humanos.

Cuba: o suicídio de um “dissidente”

Crédito: ATILIO A. BORON Por: Atilio A. Boron Em MONCADA – www.rtvneruda.com Exibindo novamente sua proverbial falta de escrúpulos, o jornal El Pais de Madrid divulgou em seu sítio eletrônico no dia 27 de fevereiro que “a dissidência cubana segue mobilizada pela morte do prisioneiro de consciência Orlando Zapata Tamayo.” Afirmação tão definitiva quanto falsa, cuja intenção não é outra senão levar água para o moinho da campanha permanente de ataques e agressões contra a Revolução Cubana, e alimentar os preconceitos de uma grande parte dos leitores desse jornal, que nem sempre têm tempo, possibilidade ou interesse em verificar a veracidade das informações que lhes proporcionam os grandes meios de comunicação. Felizmente, uma oportuna nota publicada pelo prestigiado intelectual cubano Enrique Ubieta Gómez permite lançar luz sobre este doloroso episódio e desmontar a mentira urdida pelo jornal madrilenho: (http://www.cubadebate.cu/opinion/2010/02/26/Orlando-shoe-Tamayo-morte-util-de-la-revolução/).

Zapata: um morto útil?

Crédito: Solidários Por: Enrique Ubieta Publicado em 24 de Fevereiro de 2010 – Em MONCADA A absoluta carência de mártires de que padece a contra-revolução cubana é proporcional a sua falta de escrúpulos. É difícil morrer em Cuba, não porque as expectativas de vida sejam as de Primeiro Mundo – ninguém morre de fome, ainda que pese a carência de recursos, nem de enfermidades curáveis -, porque impera a lei e a honestidade. As Damas de Branco e Yoani podem ser detidas e julgadas segundo as leis vigentes – em nenhum país pode violarem-se as leis: receber dinheiro e colaborar com a embaixada do Irã (um país considerado como inimigo) nos Estados Unidos, por exemplo, pode acarretar a perda de todos os direitos cidadãos naquela nação -, porém elas sabem que em Cuba ninguém desaparece, ninguém é assassinado.