Campanha Nacional: Juventude trabalhadora vai à luta sindicalizada!

imagemCoordenação Nacional Unidade Classista

Coordenação Nacional União da Juventude Comunista

Campanha Nacional: Juventude trabalhadora vai à luta sindicalizada!

Iniciamos a campanha pela participação ativa da juventude trabalhadora nas lutas sindicais: “Juventude trabalhadora vai à luta sindicalizada” promovida pela Corrente Sindical Unidade Classista (UC) em parceria com a União da Juventude Comunista (UJC).

Com ela, a proposta é estimular a juventude trabalhadora a se aproximar, conhecer e se inserir na luta sindical, impulsionando a organização e mobilização da classe trabalhadora frente aos ataques a nossos direitos.

A luta sindical e os sindicatos ainda são importantes?

A UC e a UJC compreendem que o sindicato foi, no passado, e ainda é, no presente, um importante instrumento de luta dos trabalhadores e trabalhadoras na defesa de direitos já conquistados.

A luta da classe trabalhadora através de sindicatos viabilizou conquistas importantíssimas ao longo de toda a história da sociedade capitalista, forçando patrões a recuarem na sua gana por lucro a qualquer custo. No século XIX eram comuns jornadas de trabalho de 12, 14 e até 18 horas diárias, inclusive entre crianças, em condições degradantes, a transformação dessa realidade foi possível, principalmente, pela organização da classe trabalhadora através dos sindicatos.

A luta sindical continua sendo um dos mais importantes instrumentos de organização e mobilização da classe trabalhadora. A luta por melhores salários, condições de trabalho e ampliação de direitos trabalhistas e a resistência contra a imposição de mudanças no dia-a-dia de trabalho que afetam a saúde do(a) trabalhador(a) e a retirada de direitos são alguns exemplos que demonstram a necessidade da juventude trabalhadora ocupar e participar dos espaços sindicais.

Por isso, nós, jovens trabalhadores e trabalhadoras, precisamos ocupar nossos sindicatos e fortalecê-los, em especial no cenário atual de retirada de direitos sociais e trabalhistas, nos marcos do ajuste fiscal. Vamos enfrentar e rebater esses ataques!

E por que iniciar uma campanha pela sindicalização?

Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2012 apontam que, dentre toda a população assalariada adulta no Brasil somente 18,1% é filiada a algum sindicato. Trata-se da menor taxa registrada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) desde 1988. Contudo, se considerarmos o total da população ocupada adulta, a taxa foi de 17,2% em 2012, a mesma registrada em 1988, auge da sindicalização no país.

Portanto, ainda que a proporção de sindicalizados no Brasil, na atualidade, seja muito próxima ao que era final dos anos 80, quando a luta sindical protagonizou o fim da ditadura militar e conquistas histórias para o conjunto dos trabalhadores (expressas na Constituição de 1988), ainda temos um número muito baixo de sindicalizações no país, além disso ser filiado a um sindicato não significa participar efetivamente de sua vida política.

O que propomos com essa campanha é que a juventude participe das lutas sindicais de sua categoria e de seus sindicatos cotidianamente, frequentando assembleias e reuniões, que se posicione frente aos problemas e posicione-se, inclusive, organizando oposições, onde as direções sindicais não representarem os interesses de sua categoria e da classe trabalhadora.

Juventude trabalhadora vai à luta sindicalizada!

http://ujc.org.br/