RESOLUÇÃO SOBRE A QUESTÃO DOS REFUGIADOS*

imagemDurante o 29º Festival Pancipriota da Juventude e dos Estudantes, a EDON (Organização Unida da Juventude Democráitca) promoveu um Seminário Internacional sob o slogan “O papel da OTAN e da EU na questão dos refugiados”, com a participação de 14 organizações internacionais.

Nesse contexto, declaramos o seguinte:

Expressamos nossas condolências ao sofrimento dos refugiados e expressamos nossa indignação com a maneira pela qual a crise dos refugiados está sendo conduzida, crise esta criada pelas políticas imperialistas no Oriente Médio. O exemplo mais óbvio é a desestabilização de todo o Oriente Médio causada pela intervenção direta ou indireta dos Estados Unidos, OTAN e da União Europeia, bem como de outros países como Turquia, Arábia Saudita, Catar e Israel. Essa política expansionista tem forçado milhões de pessoas em diferentes países a deixarem sua terra natal na procura de segurança e proteção para as suas vidas e para as vidas de seus filhos, escolhendo muitas vezes os países da Europa como destino.

Além disso, condenamos as agressões imperialistas, intervenções e guerras lideradas pelos Estados Unidos, OTAN, União Europeia e seus “aliados”, como a Turquia. Tais intervenções e guerras culminaram em milhões de refugiados.

Com a continuação das guerras e das políticas desumanas, a crise humanitária dos refugiados não pode ser solucionada efetivamente, e, consequentemente, os povos da Europa, principalmente da Grécia e da Itália, são forçados a encarar diariamente as consequências desse impasse.
Reiteramos também que a atitude da União Europeia em relação aos refugiados criados pela guerra contra a Síria continua a ser repressiva e viola o Direito Internacional Humanitário. O famigerado acordo entre a União Europeia e a Turquia em relação ao retorno dos refugiados ilustra essa postura por parte dos países europeus. A União Europeia, que tem grande responsabilidade pelas causas da crise dos refugiados, não só deixa de ajudar a resolver a questão, mas, de maneira contrária, explora a questão dos refugiados para intensificar as suas políticas repressivas de migração e de asilo, reforçando suas fronteiras, e usa tal pretexto, inclusive, para justificar a presença da OTAN no Mar Egeu.

Mesmo quando os refugiados conseguem chegar ao território da União Europeia eles não são recebidos pelas autoridades de forma humana e solidária, pelo contrário, na maioria das vezes são forçados a encarar repressão, cercas, fronteiras fechadas, racismo e xenofobia.
Saudamos a solidariedade em relação a milhares de refugiados por inúmeras organizações e pelo povo em grande parte dos países-membros da União Europeia.

Denunciamos os grupos e movimentos fascistas e de extrema-direita que promovem o racismo e a xenofobia, e que ao mesmo tempo exploram a crise dos refugiados para promover suas ideológicas misantrópicas e perversas.

Convocamos a juventude a se unir e a expressar solidariedade aos povos que são vítimas das intervenções imperialistas. Convocamos também a juventude a reforçar a luta contra as razões que forçam milhões de pessoas a deixar suas casas e seus países.

Convocamos a juventude a lutar contra as tentativas da burguesia e de seus governos de explorar a presença dos imigrantes e refugiados como meio restringir e, eventualmente, abolir as leis trabalhistas.

A juventude deve se levantar em solidariedade aos imigrantes e refugiados; suas ações de solidariedade devem se refletir nas suas demandas aos governos de seus respectivos países para que estes tomem as medidas necessárias para promover uma recepção e acomodação decentes aos refugiados e para a remoção de todos os mecanismos repressivos da União Europeia.

Convocamos a juventude a reforçar a luta contra as posturas imperialistas dos Estados Unidos, OTAN e União Europeia; contra investidas imperialistas e guerras; contra intervenções externas em assuntos internos de Estados soberanos e independentes; contra os esforços da manipulação imperialista dos povos.

Por fim, convocamos a juventude a lutar por justiça social e paz duradoura no mundo, já que este é o único caminho para criarmos as condições necessárias que irão parar com a remoção de mais povos, permitir o retorno dos refugiados, impedir que mais pessoas migrem por desespero e promover condições de vida dignas para todos os povos do mundo onde esses serão, de fato, os verdadeiros mestres de suas pátrias e de suas vidas.

Assinam essa resolução as seguintes organizações:

1. Coletivos de Jovens comunista (CJC Espanha)
2. Juventude Comunista de Portugal (JCP)
3. Juventude Comunista da Grécia (ΚΝΕ)
4. Juventude Comunista, Turquia (KP, Turquia)
5. Frente da Juventude Comunista (FGC, Itália)
6. União Nacional dos Estudantes Sírios (NUSS)
7. União Democrática da Juventude Palestina (PDYU)
8. União da Juventude Socialista (SYU, Sri Lanka)
9. União da Juventude Comunista – Brasil (UJC Brasil)
10. União da Juventude Comunista – Espanha (UJCE)
11. Organização Unida da Juventude Democráitca (EDON Cyprus)
12. União Progressiva da Juventude Egípicia (UPEY)
13. Federação Mundial das Juventudes Democráticas (FMJD)
14. Federação da Juventude do Nepal (YF Nepal)
15. Juventude do Partido Comunista da Jordânia (JCP Youth)

Tradução: UJC Brasil

RESOLUÇÃO SOBRE A QUESTÃO DOS REFUGIADOS*